Dicas Notícias

Plantas naturais preservadas: saiba o que é e como aplicar na decoração

Profissionais da arquitetura e decoração de interiores discorrem sobre a versatilidade e a durabilidade das plantas, bem como compartilham dicas de como utilizá-las nos projetos residenciais e corporativos

 

Incorporar plantas no décor, além de embelezar os ambientes e despertar a conexão com a natureza – principalmente em tempos de isolamento natural –, tornou-se um desejo ainda mais evidente. Independentemente do tamanho do lar, vasinhos, arranjos ou mesmo os aclamados jardins verticais são formas de expressar esse prazer. Porém, nem sempre a vida dos moradores permite que o estilo urban jungle seja vivenciado em sua plenitude, uma vez que nem todos contam com tempo, espaço e as condições adequadas para oferecer os cuidados que cada espécie demanda.

É por isso que, para esses casos, existem as plantas naturais preservadas. “Cada planta é tratada com todo cuidado para manter o aspecto, forma, textura e a cor original. Passam por um processo químico de preservação e estabilização para que fiquem idênticas as espécies naturais”, explica a arquiteta Marina Salomão, do Studio Mac.

Os pedidos para ter um cantinho com natureza dentro de casa vêm se tornando cada vez mais frequentes e, para Marina, este tipo de planta facilita muito, principalmente em apartamentos. “Ter verde em casa é vida, acho essencial”, completa.

Com isso, Marina e a dupla de profissionais do escritório Meet Arquitetura, a arquiteta Flávia Nobre e a designer de interiores Roberta Saes, reuniram algumas outras dicas importantes. Confira!

Cuidados na hora da escolha do local

Por mais que sejam preservadas e não naturais, elas não podem ficar expostas ao sol, pois, de certa forma, isso pode provocar alguma alteração na cor. Além disso, é importante mantê-las em ambientes internos e sem umidade. Ou seja, banheiros com chuveiro não são áreas recomendadas para o seu posicionamento. “É importante ressaltar também que esse estilo de planta apresenta alta resistência em mudanças climáticas e ar-condicionado”, discorre a Marina.

A arquiteta Flávia Nobre e a designer de interiores Roberta Saes, sócias no escritório Meet Arquitetura, também são adeptas à especificação de plantas preservadas e utilizam com frequência tanto em apartamentos, quanto em projetos corporativos.

Espaço ideal

Em relação ao local de instalação, isto varia de acordo com o briefing passado pelo cliente. Porém, os cantinhos verdes se dão muito bem em varandas, áreas gourmets e livings. Sem uma regra específica, é necessário apenas se atentar aos cuidados para que não percam cor ou estraguem.

Os jardins verticais são ótimos aliados no décor de ambientes, já que, na visão da arquiteta Marina Salomão, eles conseguem deixar qualquer espaço mais aconchegante e agradável. 

 

Manutenção

Aqui está um dos maiores benefícios ao apostar em plantas preservadas! Elas não exigem nenhum esforço na hora da manutenção. A limpeza pode ser superficial e feita facilmente com um espanador. Às vezes, pode demandar algum reparo ou outro, pois alguma folha pode quebrar por estar em alguma passagem ou por ser tocada.

Para a dupla de profissionais à frente do Meet Arquitetura, as plantas preservadas são opções perfeitas para escritórios, que em linhas gerais passam pelo menos dois dias da semana fechados. Por não demandarem grandes manutenções, ainda colaboram para o layout e o bem-estar dos colaboradores da empresa.

Crédito: 

Fonte: dc33 Comunicação

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar