Imóveis

Vai comprar um imóvel? Confira quatro indicadores econômicos que você deve ficar de olho

Uma forma de garantir um bom negócio na hora de comprar uma casa ou apartamento é se informar sobre todos os detalhes e indicadores que afetam o mercado imobiliário

Quem deseja comprar um imóvel sabe que é um investimento que precisa de muito estudo, planejamento e pesquisa.

Qualquer passo errado pode resultar em prejuízo. Uma forma de garantir um bom negócio na hora de comprar uma casa ou apartamento é se informar sobre todos os detalhes e indicadores que afetam o mercado imobiliário. Confira quatro índices que impactam diretamente no preço:

• INCC – Índice Nacional de Custo da Construção
Como o próprio nome sugere, ele avalia a evolução dos custos das construções habitacionais no Brasil. Sua função é corrigir valores de contratos de aquisição de imóveis e, portanto, costuma ser mais utilizado por quem deseja comprar uma casa ou apartamento na planta. Criado em 1950, o INCC é o primeiro índice oficial que mede os custos envolvidos na construção civil – sendo um dos melhores termômetros do mercado imobiliário no país. Ele é elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e leva em conta os preços praticados em sete capitais.

• IGMI-C – Índice Geral do Mercado Imobiliário – Comercial
É destinado para quem deseja comprar um prédio comercial e revela a evolução dos preços desses imóveis em todo o país. Seu cálculo também é feito pela FGV e sua série histórica começou em 2000, sendo realizada a cada trimestre. O IGMI-C é referência tanto para investidores do mercado imobiliário quanto para cidadãos que desejam abrir um negócio próprio e querem fugir do aluguel. Tanto que o estudo leva em conta os valores de escritórios comerciais, lojas e salas em shoppings, hotéis, estacionamentos e galpões.

• IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo
É considerado um dos principais indicadores econômicos do Brasil simplesmente porque mede a inflação do país em um determinado período de tempo. O seu cálculo é feito todos os meses pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e considera os preços de determinados produtos e serviços. Como termômetro da inflação, IPCA alto indica que os preços estão aumentando e os valores dos imóveis podem estar acima da média.

• Taxa de Juros SELIC
Sigla de Sistema Especial de Liquidação e Custódia, a SELIC é considerada a taxa básica de juros da economia brasileira. Isso porque ela é referência para as demais taxas praticadas pelas instituições financeiras, incluindo as de financiamento imobiliário. É determinada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, que se reúne oito vezes ao ano. Sua influência é grande na economia como um todo. Taxa SELIC alta, por exemplo, indica retração dos investimentos e, consequentemente, menos dinheiro circulando. Percentuais baixos estimulam os investimentos e a obtenção de créditos imobiliários, mas essa procura pode gerar inflação.

*André Zukerman é diretor da Zukerman Leilões, empresa referência em leilões imobiliários
Crédito: Divulgação
Fonte: Casa de Notícias by Ademi-Pr

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar