Artigos

“Precisamos nos distanciar socialmente, mas não precisamos nos isolar do mundo”

Em bate-papo sobre o distanciamento social, a psicóloga comportamental Andressa Barbosa indica caminhos para cuidar da saúde mental em tempos de pandemia de Covid-19

 

Ao redor do mundo, a pandemia do novo coronavírus está causando as mais diversas transformações, que vão desde o reforço à higienização até as alterações nas relações de trabalho. Nesse sentindo, uma das medidas de segurança mais sugeridas é o distanciamento social, que é proposto com o objetivo de frear a disseminação do vírus.

Entretanto, essa estratégia pode causar efeitos nocivos à saúde mental. Então, fica a pergunta: como evitar isso? Quem dá as dicas é a psicológica comportamental e professora da UniCesumar, Andressa Barbosa. Além de ressaltar a importância de seguir as recomendações de saúde para cuidar de si e do próximo, ela lista elementos como dormir bem, alimentar-se de maneira saudável, fazer planos para o futuro e manter contato com entes queridos .

Além da entrevista, Andressa Barbosa também participou na última terça-feira (16) de um bate-papo sobre saúde mental na pandemia, juntamente à psicóloga Lais Nadai, especialista em Gestalt-terapia. Assista ao vídeo no canal da UniCesumar no YouTube .

Para conferir todas as dicas, leia na íntegra!

UNICESUMAR: Em tempos de pandemia, quais são as dicas que você, como psicóloga, dá para quem está em casa, praticando o distanciamento social?

 

ANDRESSA BARBOSA: O momento requer distanciamento social, e estar distante de algumas pessoas, como dos amigos, familiares, colegas de trabalho ou da escola pode ser algo muito difícil e sofrido. Estávamos acostumados a toda uma rotina e ao convívio. É inegável que o isolamento impacta diretamente nossa saúde mental, por isso, podemos pensar em alternativas para reduzir os danos e nos adaptar da melhor maneira possível.

 

 

Precisamos nos distanciar socialmente, mas não precisamos nos isolar do mundo. Por isso, precisamos manter contato e nos conectar com as pessoas, mesmo que de maneiras diferentes. Podemos usar as redes sociais, mandar uma mensagem de carinho, ligar só para saber se está tudo bem e ressaltar o quanto as pessoas são importantes para nós. O isolamento pode servir de momento de reflexão à importância que as pessoas têm em nossa vida e o quanto estar com elas é especial.

Durante esse período, é interessante absorver o que toda essa situação nos ensina, o que podemos tirar de “bom” do momento. Para facilitar nossa adaptação, podemos utilizar o tempo para cuidar de nós mesmos, dormir um pouquinho mais, saborear a alimentação com calma, estar com os familiares, pensar em jogos e diversão, desafios, fazer atividade física em casa, curtir nosso cantinho favorito, ouvir as músicas e assistir filmes e séries que gostamos, relaxar e meditar. Podemos fazer uma leitura que há tempos estamos adiando, nos especializar em algo, realizar um curso on-line, retomar um projeto antigo, mas é interessante manter uma rotina, dividir as tarefas e planejar como o dia será, aproveitando o dia com o que nos importa.

É interessante aproveitar o tempo com um propósito, um compromisso consigo mesmo, preencher com atividades e afazeres para não ter a sensação de que os dias estão passando em vão. Não precisa ser nada grandioso. Pode ser até organizar uma gaveta ou tentar fazer algo novo.

Muitas pessoas estão tendo dificuldade em manter uma rotina saudável, por estarem preocupadas. Como resolver isso?

Nos preocupamos com tudo o que está acontecendo, com as pessoas infectadas, com todas as possibilidades, com as notícias que ouvimos, com a economia do país. Porém, toda essa preocupação deve ser revertida para aquilo que está no nosso controle. Essa pergunta deve ser feita sempre que algo nos preocupa: “o que está sob meu controle?” Não podemos impedir a pandemia, mas podemos tomar os cuidados necessários para nos proteger, lavar as mãos com frequência, evitar contato com a boca, usar máscara e álcool em gel quando sairmos de casa, além de manter o distanciamento social e evitar aglomeração. Precisamos preencher nosso tempo com atividades saudáveis e prazerosas, não dando espaço para o que não está sob nosso controle.

Com a preocupação controlada e com a organização do tempo, é possível manter os hábitos saudáveis como alimentação, rotina de exercícios e atividades de lazer, mesmo que em casa. Se mesmo assim a preocupação for grande e estiver atrapalhando sua vida e das pessoas ao seu redor, a indicação é procurar ajuda de um psicólogo.

Para você, qual a importância de se manter são durante esse período?

É extremamente importante manter a saúde mental nesse período, estar bem consigo mesmo, relaxar, realizar atividades prazerosas. Se não estamos bem, damos espaço para pensar em coisas ruins e para o desespero, o que não contribui em nada, pelo contrário, atrapalha nossa vida e nossas relações. Precisamos estar mentalmente saudáveis para conviver com os nossos e para que a adaptação em casa seja facilitada. O desespero não irá ajudar. Pense nos benefícios de estar em casa, no que dá para tirar de proveito disso, e podemos dar um novo significado para este período, para as pessoas e as nossas relações, para o trabalho e os estudos. A pandemia vai acabar e em breve iremos retomar nossas atividades normalmente.

Acompanhar notícias sobre o tema é importante, mas pode deixar as pessoas ainda mais preocupadas. Como consumir as informações sobre a pandemia de forma sadia?

Acompanhar notícias sobre o tema é importante. Porém, algumas pessoas têm passado muito tempo vendo notícias assustadoras e ficado demasiadamente ansiosas e preocupadas. É importante que as informações obtidas sejam de fontes confiáveis e em horários definidos, uma ou duas vezes por dia.

Para as pessoas que têm filhos, qual a melhor forma de proceder durante esse período?

Precisamos dizer às crianças o que está acontecendo, falar sobre a pandemia, orientá-los sobre os cuidados e acolher suas angustias e medos. A criança precisa entender o quanto a contribuição de todos é importante nesse momento. Por isso, ela precisa ficar em distanciamento dos locais de aglomeração, como escola, parques e outros espaços de convivência.

Durante esse período, a rotina deve ser mantida o máximo possível, com horários de acordar, das refeições, do estudo, da diversão, da ajuda e organização da casa, o que ameniza o impacto das mudanças e do isolamento.

Existe uma variedade de atividades gratuitamente ofertadas na internet para realizar com as crianças, além de infinitas possibilidades de atividades, jogos e interação que podemos fazer com elas. As ideias podem ser pensadas em família e todos podem realizem juntos. Jogos de tabuleiros, fantoches, histórias em quadrinho, leitura, pesquisas, fazer bolinhos, origamis, caça ao tesouro, bolhas de sabão, desenhos, concursos musicais, exercícios físicos, escrever uma carta, quebra-cabeça, caça-palavras, pista de obstáculos, desafios de quem consegue guardar mais coisas daquelas espalhadas pelo chão, desfile de moda, criação de filme caseiro, tudo é válido.

Em muitos lares, o fato de pessoas passarem tempo demais juntas tem gerado conflitos. Como evitar isso?

Considero que seja essencial para evitar conflitos a divisão de tarefas, o estabelecimento de rotina, as atividades programadas em família, o diálogo e um tempo para estar sozinho. Dentre essas possiblidades, o diálogo é o mais importante. É necessário dizer para o outro o que incomoda, e essa comunicação precisa ser assertiva e não violenta, para que juntos, possam chegar em uma solução. Conversar e resolver as adversidades facilita em muito a convivência, não só em tempos de pandemia.

Crédito: Divulgação
Fonte: Unicesumar

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar