Paulo Roberto de Oliveira

Ceo do Avalion

 

Hoje estive pensando em todas as experiências que já passei, quer sejam no âmbito pessoal como no profissional. Estas experiências tiveram algo em comum: foram durante as minhas caminhadas. Caminhar é conhecer, é quando você cria uma conexão consigo mesmo, entender qual a sua essência e quais as suas dificuldades, seus medos, seus desejos.

Caminhar é uma arte: a arte de aprender a escutar. É também solitária e faz com que você conheça a si mesmo. Na nossa vida profissional não é diferente de uma caminhada: quando nos conhecemos a nós mesmos e entendemos quais são as nossas habilidades e quais são nossas fraquezas, conseguimos nos tornar melhores, como pessoas e como profissionais.

Toda caminhada começa com o primeiro passo, e não é fácil! É principalmente cheio de dor e isto nos faz sentir vivos. A dor faz com que você comece a pensar nas estratégias a serem utilizadas no percurso: vou diminuir a passada, vou aumentar? Será que eu estava preparado? Estou utilizando das ferramentas corretas para isto?

No lado profissional é isto que acontece. Estar preparado para conversar com o cliente, conhecer o seu mercado, ter dados suficientes para esclarecer as dúvidas deste cliente, utilizar tecnologias para agilizar e otimizar o tempo.

A segunda fase da caminhada é o quanto você pensa. Chamo esta fase de O PENSAR. É quando você começa a tentar entender quem é você, pensar no por que das coisas, onde estou e onde quero chegar. Esta análise é muito importante, pois conhecer a si mesmo nos leva a tomar atitudes de acordo com aquilo que podemos entregar. Por isto, ao conversar com o seu cliente, além de demonstrar a ele como funciona o seu mercado e combinar o que será feito, você irá entregar conforme combinado, sem atrasos, sem faltas.

Caminhar faz com que você se desenvolva de diversas formas. Eu nas minhas andanças, tenho praticado muito a conversa comigo mesmo, como atender o cliente, como falar com ele e o que falar. Tentar melhorar a comunicação que é fundamental, principalmente nos dias de hoje, onde o que falta é a palavra. Devemos sempre lembrar que não basta apenas um belo terno, um bom carro, a ostentação. Antes disso é importante a forma que você se comunica com o cliente, demonstrar a ele que você é profissional, ético e entende deste mercado.

A chegada não é o objetivo da caminhada e sim, o caminhar. Quando colocamos um objetivo, ficamos tão focados no resultado final que esquecemos de como a jornada é importante, como os erros e acertos nesse processo nos farão crescer e ter a possibilidade de obter novas percepções sobre tudo. Logo, nem sempre o mais importante é o objetivo, mas sim o caminho que nos leva até ele.

Caminhar é se redescobrir, se reencontrar com o seu melhor e o seu pior, é entender suas capacidades. Quando você conhece sua essência e quebra suas crenças limitantes, começa também a enxergar o outro de uma maneira diferente, entender quem é, quais são as suas necessidades e isso é fundamental para o sucesso das relações.

Aprenda a entender a real necessidade do seu cliente, demonstre quem você é neste mercado, entregue a informação de forma precisa, conquiste-o, mas para que isto aconteça, primeiro conheça a si mesmo e depois o seu cliente.

 

Crédito: Paulo Roberto de Oliveira

Fonte: Paulo Roberto de Oliveira

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar