Social

Edital oferece recompensa financeira a proprietários de terras que preservarem áreas naturais

Projeto tem o objetivo de incentivar a conservação de remanescentes florestais e a manutenção da qualidade da água do Reservatório Piraquara 1, importante manancial da Região Metropolitana de Curitiba

 

Proprietários que preservarem áreas naturais localizadas na região do Reservatório Piraquara 1, na Região Metropolitana de Curitiba, poderão receber uma recompensa financeira. Essa é a proposta do projeto de pagamento por serviços ambientais (PSA) Manancial Vivo, criado pela Prefeitura de Piraquara com o objetivo de incentivar a conservação de áreas naturais, localizadas em áreas particulares, estratégicas para a garantia da quantidade e qualidade hídrica de um dos principais mananciais de abastecimento da Grande Curitiba.

Nesta semana, a Prefeitura Municipal de Piraquara, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, a Sanepar, a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, a SPVS, o poder legislativo municipal e o Conselho Municipal de Meio Ambiente lançaram o edital que selecionará as propriedades que serão beneficiadas pelo programa durante três anos. Interessados têm até o dia 6 de junho de 2019 para se inscrever.

Segundo o coordenador de Soluções baseadas na Natureza da Fundação Grupo Boticário, Renato Atanazio, o pagamento por serviços ambientais é uma forma eficiente de garantir a conservação dos ambientes naturais que atuam como “esponja” – retendo a água na bacia, o que garante o recurso em períodos de estiagem – e como filtros naturais que reduzem significativamente os custos de tratamento de água. “Esses ambientes são também chamados de infraestrutura natural por serem parte indispensável para o funcionamento do sistema de abastecimento público. Como muitas destas áreas estratégicas estão situadas em áreas particulares, exigindo a restrição de uso e adoção de boas práticas, nada mais justo que haver uma retribuição a esses proprietários” destaca.

Os selecionados pelo edital poderão receber de R$ 81,30 a R$ 650,40 por hectare de área natural preservada. Ao todo, R$ 750 mil serão disponibilizados em três anos de projeto.

A ação começou a ser desenhada em 2014 com apoio da iniciativa Oásis, criada pela Fundação Grupo Boticário para incentivar e promover a valorização dos ambientes naturais por meio de mecanismos de incentivo econômico a proprietários que se comprometam com a conservação de áreas naturais e a adoção de práticas conservacionistas de uso do solo.

Sobre a Fundação Grupo Boticário
A Fundação Grupo Boticário é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial. A Fundação Grupo Boticário apoia ações de conservação da natureza em todo o Brasil, totalizando mais de 1.500 iniciativas apoiadas financeiramente. Protege 11 mil hectares de Mata Atlântica e Cerrado, por meio da criação e manutenção de duas reservas naturais. Atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e nas políticas públicas, além de contribuir para que a natureza sirva de inspiração ou seja parte da solução para diversos problemas da sociedade. A instituição defende que o patrimônio natural bem conservado é a base para o desenvolvimento econômico e bem-estar social. Também promove ações de engajamento e sensibilização, que aproximam a natureza do cotidiano das pessoas.

Crédito: Prefeitura de Piraquara / Bruno Oliveira
Legenda: Reservatório Piraquara 1 fica localizado na Região Metropolitana de Curitiba
Fonte: Central Press

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar