Serviços

Em Curitiba, construções sustentáveis apostam no uso do gás canalizado

Em junho, Compagas conquista marca de 1.000 prédios e mais de 45 mil unidades residenciais com o gás natural

 

Conforto, segurança, praticidade, funcionalidade, lazer e sustentabilidade. Hoje, a preocupação com o meio ambiente e com os recursos naturais deixou de ser apenas uma tendência e se incorporou ao conceito de morar bem. Curitiba se destaca neste cenário – a capital paranaense concentra o maior número de edificações com a certificação LEED (concedida para construções sustentáveis) no Sul do Brasil, segundo dados do Green Building Council (GBC).

 

Dentre os itens que tornam um edifício “verde” está a eficiência no uso de energia e a escolha de soluções e tecnologias econômicas e que reduzem o impacto ambiental. E é por isso que um número cada vez maior de construções está optando pelo gás natural canalizado.  Em junho, a Companhia Paranaense de Gás (Compagas) superou a marca dos 1.000 edifícios que utilizam o combustível, o que corresponde a mais de 45 mil unidades domiciliares com o gás canalizado. “O gás natural é um combustível mais econômico e sustentável, que vai ao encontro do que o consumidor, cada vez mais exigente e comprometido com o futuro do planeta, procura”, revela Rafael Longo, diretor técnico-comercial da Compagas. A Companhia atua no segmento residencial desde 2002, com a ligação do Edifício Millenium, e a meta é, até o final do ano, chegar a 47 mil unidades residenciais atendidas pelo gás canalizado.

 

A marca de 1.000 edifícios que consomem o gás natural canalizado no Paraná é comemorada pela Compagas com a ligação do primeiro residencial do país a conquistar a pré-certificação ambiental LEED Nível Ouro, o LLUM Batel – da Construtora e Incorporadora Laguna. O empreendimento residencial foi construído para consumir 25% menos energia, 20% menos água e priorizar o uso racional dos recursos naturais, com o máximo de aproveitamento das fontes de energia. As 15 unidades domiciliares do empreendimento utilizarão o gás natural para a cocção de alimentos e para o aquecimento de água e ambientes. “Receber a pré-certificação LEED Gold mostra que a Laguna está acima dos padrões nacionais. O selo não define apenas os parâmetros de sustentabilidade da obra, mas também estabelece métricas de qualidade. E um desses aspectos sustentáveis é o aquecimento de água a gás, com sistema Smartstart* que permite que a água já chegue quente ao chuveiro”, explica André Marin, diretor de incorporação da Construtora Laguna. No LLUM, além dos pontos de consumo do gás canalizado para fogões e aquecedores, em cada apartamento há um ponto de gás para lavadora e secadora de roupas. Na área comum do empreendimento há pontos para aquecimento da piscina, no salão de festas e no espaço Gourmet.

(*) O sistema Smartstart possibilita a recirculação da água fria parada na tubulação de volta ao aquecedor, de forma automática. Assim, não há desperdício de água enquanto se espera que a água quente chegue ao chuveiro. 

O gás canalizado
Utilizado para atividades de cocção e aquecimento nas unidades domiciliares e nas áreas comuns dos condomínios, como em salões de festas, zeladorias e churrasqueiras, o gás canalizado atrai pelo preço competitivo e por ser menos poluente que seus concorrentes. “Outra vantagem é o fornecimento contínuo, que elimina a preocupação do consumidor com estoque de combustível, além de não ser preciso destinar um local do condomínio para armazenar botijões de gás, otimizando as áreas comuns dos empreendimentos e reduzindo o fluxo de caminhões que atrapalham o trânsito e os moradores”, afirma Longo.

O gás natural não se confunde com o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) uma vez que este é distribuído por botijões ou cilindros, enquanto a distribuição do gás natural se dá por meio de redes subterrâneas. Além disso, por ser mais leve que o ar e se dissipar facilmente na atmosfera em caso de vazamentos, o gás natural é mais seguro, o que reduz os riscos de acidentes. No aspecto ambiental, possui uma queima mais limpa do que os seus concorrentes, contribuindo para a redução da emissão de poluentes na atmosfera.

Atualmente, a Compagas conta com a rede de distribuição para atender o segmento residencial em mais de 20 bairros de Curitiba, dentre os quais se destacam Água Verde, Batel, Bigorrilho, Portão, Vila Izabel, Centro, Rebouças, Alto da XV, Juvevê e Cabral. Ponta Grossa, nos Campos Gerais, também conta com o fornecimento de gás canalizado para o segmento residencial e o próximo município a ter este atendimento será São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

 

Sobre a Compagas – Concessionária responsável pela distribuição de gás natural canalizado no Estado do Paraná. Empresa de economia mista, tem como acionista majoritária a Companhia Paranaense de Energia – Copel, com 51% das ações, a Gaspetro, com 24,5% e a Mitsui Gás e Energia do Brasil, com 24,5%. Em março de 2000, a empresa passou a ser a primeira distribuidora do Sul do país a fornecer o gás natural aos seus clientes, com a inauguração do ramal sul do gasoduto Bolívia – Brasil (Gasbol). Atualmente, a Compagas conta com mais de 45 mil clientes dos segmentos residencial, comercial, industrial, veicular e geração de energia elétrica e está presente em 17 municípios: Araucária, Curitiba, Campo Largo, Balsa Nova, Palmeira, Ponta Grossa, São José dos Pinhais, Colombo, Quatro Barras, Fazenda Rio Grande, Pinhais, Campina Grande do Sul, Paranaguá, Londrina, Carambeí, Castro e Arapoti.

Crédito: Divulgação
Fonte: IEME Comunicação

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar