Número de participantes superou as expectativas do evento. Transformações que o blockchain pode trazer para as cidades inteligentes são abordadas por especialista britânica em palestra com plenária

Os debates sobre inovação urbana e as soluções para o futuro das cidades pelo mundo dominaram os painéis, palestras e estandes da Smart City Expo Curitiba 2018, que recebeu mais de 8 mil participantes entre quarta (28) e quinta-feira (1°), no Expo Renault Barigui.


O número superou as expectativas da organização, que contava com cerca de 5 mil pessoas.


“O evento foi um sucesso, em todos os sentidos. Tanto a participação dos congressistas quanto a contribuição dos speakers e expositores foi à altura deste evento histórico para o país e para Curitiba, que agora faz parte do seleto grupo de smart cities sede de um evento chancelado pela Fira Barcelona”, comemora André Telles, diretor do iCtities, que organizou o evento com apoio do WTC Business Club Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.








Blockchain e o futuro das cidades

Com a plenária principal lotada, mais de 800 participantes ouviram o testemunho da empresária, autora e palestrante britânica Tia Kansara, da Replenish Eart, especialista em cidades sustentáveis. O tema abordado é uma das pautas frequentes quando o assunto é tecnologia e finanças: as transformações que o blockchain pode trazer para cidades inteligentes.

Tia Kansara da Replenish Eart

“Em 2050, teremos 66% da população mundial vivendo em cidades. É quase o dobro da nossa realidade atual. Para os problemas multidimensionais que esse cenário vai gerar, precisamos de soluções tecnológicas multidimensionais. Nesse sentido, o uso de blockchains remove a necessidade de intermediários como instituições governamentais e bancárias no gerenciamento das relações entre pessoas e empresas”, detalha Kansara.

Esse sistema descentralizado, segundo a especialista, gera uma enorme quantidade de memória compartilhada na próxima geração da internet, que causará impacto nas cidades. “Cada interação que fazemos gera uma mudança permanente na rede, além de criar nossos avatares digitais, com todo nosso comportamento de usuários. Questões como IOT de Segurança, privacidade, novos modelos econômicos e combate a corrupção estão relacionadas a esta realidade de blockchain”.

Tia Kansara finalizou sua palestra com uma pergunta/provocação, que resume o sentimento dos debates da Smart City Expo Curitiba: se você tivesse um ouvido digital em cada prédio da cidade, o que gostaria de ouvir deste prédio?

Créditos: Michel William
Fonte: Talk Assessoria de Comunicação