O resultado foi um aumento de 30% das vendas de janeiro a setembro desse ano, em relação ao mesmo período do ano passado.

Controle do desemprego e da inflação (com menor rentabilidade das aplicações financeiras), redução da taxa de juros para financiamento pelos bancos, liberação dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e aumento da confiança pelo consumidor. Segundo a diretora da Senzala Imóveis, Augusta Coutinho Loch, a soma desses fatores resgatou o investimento imobiliário em Curitiba como oportunidade, especialmente para a venda de apartamentos compactos com preço de até R$ 300 mil.

O resultado foi um aumento de 30% das vendas de janeiro a setembro desse ano, em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com Augusta, as kitinets, studios e apartamentos de 1 quarto no Centro, os chamados imóveis compactos, sem vaga de garagem, estão entre os imóveis para compra mais procurados, especialmente pelo público jovem, a chamada Geração Y (18 a 35 anos).

“A finalidade da compra desses apartamentos compactos é para moradia, sendo o primeiro imóvel dos casais novos ou de quem está deixando o aluguel e a casa dos pais para morar sozinho. Esses jovens prezam pelo fácil acesso ao transporte público e proximidade a supermercados, farmácias, shoppings e do local que estudam e trabalham ”, descreve a diretora da Senzala Imóveis. 

Os apartamentos compactos, que têm 1 ou 2 quartos, normalmente são considerados suficientes para os jovens solteiros ou casados, mas sem filhos, que dispensam grandes espaços. “Eles estão mais focados na formação e na carreira, por isso, o imóvel deve atender a demanda atual e não futura. Nesse sentido, o preço é um balizador, mas não significa uma restrição aos studios de alto padrão e apartamentos compactos mobiliados, que podem atender uma renda mais elevada”, explica Augusta.

De acordo com ela, a área de lazer do condomínio também é um ponto importante na busca dos apartamentos compactos pela Geração Y. “Itens como piscina, salão de festas, academia e cinema permitem a diversão sem sair de casa. Além de compra, esse público também procura apartamentos para alugar com essas características, o que pode ser uma boa opção de investimento imobiliário”, comenta Augusta.

Segundo dados do Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar), as kitinets e apartamentos de 1 quarto correspondem a 4,5% dos imóveis usados para venda ofertados em Curitiba, totalizando cerca de 1,3 mil unidades. Já entre os novos, segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), os studios, lofts e apartamentos de 1 dormitório correspondem a 18,7% das unidades residenciais disponíveis para a venda em Curitiba, totalizando 1.539 imóveis.

Foto: divulgação
Fonte: Maria Emília Staczuk