Aos moradores de apartamento, a área externa privativa passou a significar versatilidade.

A dúvida entre comprar uma casa ou um apartamento provavelmente já passou pela sua cabeça ao procurar um imóvel para morar. O apartamento possui a segurança de um ambiente coletivo e a praticidade para quem passa grande parte do dia fora da residência. A casa, por outro lado, oferece o conforto de um terreno amplo e um espaço ao ar livre. Mas qual decisão tomar?

A solução para esse dilema contemporâneo pode estar no apartamento garden. Nos últimos anos, esse tipo de imóvel, que antes possuía apenas opções de plantas pequenas e terraços vazios, foi ressignificado por arquitetos e paisagistas.
Para Mariana Rocha e Rafael Vaz, integrantes do departamento de arquitetura da Hyperion Empreendimentos, a escolha por um apartamento garden passa por questões como conforto e privacidade.

“Havia certo preconceito com o apartamento residencial no início”, conta Mariana. “A moradia ideal era a casa e os prédios eram puramente comerciais. Quando esse espaço passou a ser utilizado como habitação, houve uma resistência grande. O garden surgiu como um modo de preencher essa lacuna.”
Aos moradores de apartamento, a área externa privativa passou a significar versatilidade. “Se você precisa receber pessoas em seu apartamento e o espaço interno não é suficiente, o garden é uma saída”, exemplifica Rafael. A exclusividade do ambiente também é um diferencial. “É uma maneira de você poder sair de dentro do seu apartamento sem necessariamente estar em um local público ou compartilhado”, complementa.

O espaço ao ar livre, antes inutilizado, passou a ser explorado como quintal, área de lazer, relaxamento e até mesmo para comportar piscinas, dependendo do espaço disponível. Para todos os efeitos, uma casa – mas com toda a segurança e a infraestrutura que um apartamento pode oferecer.

Foto: Divulgação
Fonte: Igor Padilha