Indústria Imobiliária

Vai comprar um imóvel? Confira quatro indicadores econômicos que você deve ficar de olho

Uma forma de garantir um bom negócio na hora de comprar uma casa ou apartamento é se informar sobre todos os detalhes e indicadores que afetam o mercado imobiliário

Quem deseja comprar um imóvel sabe que é um investimento que precisa de muito estudo, planejamento e pesquisa.

Qualquer passo errado pode resultar em prejuízo. Uma forma de garantir um bom negócio na hora de comprar uma casa ou apartamento é se informar sobre todos os detalhes e indicadores que afetam o mercado imobiliário. Confira quatro índices que impactam diretamente no preço:

• INCC – Índice Nacional de Custo da Construção
Como o próprio nome sugere, ele avalia a evolução dos custos das construções habitacionais no Brasil. Sua função é corrigir valores de contratos de aquisição de imóveis e, portanto, costuma ser mais utilizado por quem deseja comprar uma casa ou apartamento na planta. Criado em 1950, o INCC é o primeiro índice oficial que mede os custos envolvidos na construção civil – sendo um dos melhores termômetros do mercado imobiliário no país. Ele é elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e leva em conta os preços praticados em sete capitais.

• IGMI-C – Índice Geral do Mercado Imobiliário – Comercial
É destinado para quem deseja comprar um prédio comercial e revela a evolução dos preços desses imóveis em todo o país. Seu cálculo também é feito pela FGV e sua série histórica começou em 2000, sendo realizada a cada trimestre. O IGMI-C é referência tanto para investidores do mercado imobiliário quanto para cidadãos que desejam abrir um negócio próprio e querem fugir do aluguel. Tanto que o estudo leva em conta os valores de escritórios comerciais, lojas e salas em shoppings, hotéis, estacionamentos e galpões.

• IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo
É considerado um dos principais indicadores econômicos do Brasil simplesmente porque mede a inflação do país em um determinado período de tempo. O seu cálculo é feito todos os meses pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e considera os preços de determinados produtos e serviços. Como termômetro da inflação, IPCA alto indica que os preços estão aumentando e os valores dos imóveis podem estar acima da média.

• Taxa de Juros SELIC
Sigla de Sistema Especial de Liquidação e Custódia, a SELIC é considerada a taxa básica de juros da economia brasileira. Isso porque ela é referência para as demais taxas praticadas pelas instituições financeiras, incluindo as de financiamento imobiliário. É determinada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, que se reúne oito vezes ao ano. Sua influência é grande na economia como um todo. Taxa SELIC alta, por exemplo, indica retração dos investimentos e, consequentemente, menos dinheiro circulando. Percentuais baixos estimulam os investimentos e a obtenção de créditos imobiliários, mas essa procura pode gerar inflação.

*André Zukerman é diretor da Zukerman Leilões, empresa referência em leilões imobiliários
Crédito: Divulgação
Fonte: Casa de Notícias by Ademi-Pr

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar