Indústria Imobiliária

Estoque de imóveis para locação residencial atinge menor patamar desde 2017

O movimento de oferta e procura tende a recair sobre os preços nos próximos meses

A oferta de imóveis residenciais para locação em Curitiba está diminuindo segundo dados mais recentes do Secovi-PR (Sindicato da Habitação e Condomínios).

Durante o mês de abril o estoque desse  tipo de imóvel chegou ao patamar 6,9 mil unidades, a menor observada desde janeiro de 2017 e quase 30% menor que o mesmo período do ano passado.

De acordo com Fátima Galvão, presidente da Rede Imóveis – associação que reúne as imobiliárias mais tradicionais de Curitiba, este era um momento esperado pelo mercado, pois demonstra a retomada de um equilíbrio saudável, ante à quantidade excessiva de imóveis registrada nos últimos anos. “A lei de oferta e procura, como regra geral, acaba fazendo uma autorregulação do mercado, o que acaba fazendo um movimento interessante ao segmento imobiliário”, avalia. “Esse mesmo movimento – regido pela demanda – tende a recair sobre os preços nos próximos meses”, frisa.

O chamado LSO (Locação Sobre Oferta) dos imóveis residenciais alcançou o topo da curva em fevereiro, chegando a 22, 4 — também maior alta registrada desde janeiro de 2017 e em abril está em 18,8 —, um valor muito acima se comparado com o mesmo período dos anos interiores. Em abril, o ticket médio registrado nas locação residenciais ficou em R$ 1.162,32.

Sobre a Rede Imóveis
Com mais de 20 anos de atuação e pioneira na formação de Redes Imobiliárias no Brasil, a Rede Imóveis é uma associação de 12 imobiliárias tradicionais de Curitiba, com o objetivo de facilitar a negociação de quem quer comprar, vender ou alugar imóveis. A Associação Rede Imóveis é formada pelas empresas: Razão, J8, Kondor, Baggio, Cilar, Cibraco, Galvão Locações, Galvão Vendas, Imobiliária 2000, Futurama, Habitec e Paulo Celles.

Crédito: Divulgação
Fonte: Sandra Solda

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar