Indústria Imobiliária

Curitiba tem o maior índice de Locação sobre Oferta de imóveis residenciais nos últimos sete anos

Os imóveis com maior oferta no mercado são os apartamentos com dois e três dormitórios.

 

O mercado de locação de imóveis residenciais continua aquecido. O mês de fevereiro (2019) alcançou o maior índice de Locação sobre Oferta (LSO) dos últimos sete anos, chegando a 22,4%, ficando abaixo apenas de fevereiro de 2012, quando o LSO foi de 24,8%. Os dados são do Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento Imobiliário e Condominial (Inpespar), do Sistema Secovi-PR.

Em relação a janeiro, fevereiro representou um aumento de 11,3 pontos percentuais e aumento de 5,4pps com fevereiro de 2018. O bimestre de 2019 teve aumento de 3pps comparado com o mesmo período de 2018 e de 3,8pps com 2017.

No caso dos imóveis comerciais, o LSO foi de 6,1%, apresentando aumento de 3,4pp em relação ao mês anterior e de 1,1pp com fevereiro do ano passado.

A análise também revelou que tanto o índice de inadimplência de alugueis quanto o de condomínios continua apresentando queda, em fevereiro baixando ainda mais 0,1pp, na comparação com janeiro, mantendo a capital paranaense com um dos índices mais baixos do país. Segundo o presidente do Inpespar, Jean Michel Galiano, a queda da inadimplência no setor de locação se deve ao bom trabalho que as imobiliárias cadastradas estão fazendo no aprimoramento da análise de dados dos locadores, bem como da utilização da tecnologia e da capacitação de suas equipes.

“Há algum tempo o Secovi-PR está atuando para capacitar cada vez mais os funcionários das imobiliárias para chegarmos a esse resultado positivo”, destaca.

Diminuição na oferta de imóveis usados para locação
O Inpespar demonstra que o número de alugueis de imóveis residenciais realizados em Curitiba nos últimos 12 meses aumentou, já que a disponibilidade em fevereiro marcou 7.429 unidades, representando queda de 9,2% na oferta no último mês na comparação com janeiro e queda de 22,1% com fevereiro do ano passado. Na comparação dos bimestres queda de 21,4% em relação a 2018 e de 31% com 2017.

Os imóveis com maior oferta no mercado são os apartamentos com dois e três dormitórios.

“Apesar da queda no volume dos imóveis para locação, ainda temos muitas oportunidades para quem busca um imóvel para morar e montar o seu negócio, com imóveis nas mais diversas faixas de preços”, comenta o presidente.

Estimativa de Negociação
Outra boa notícia para o setor trata da estimativa de negociação. Fevereiro marcou um aumento de 83,5% com relação ao mês anterior e de 2,6% com relação a fevereiro de 2018 para os imóveis residenciais. No caso dos comerciais os números também são expressivos, com um aumento de 127,9% em comparação a janeiro e de 18,6% com fevereiro de 2018.

Crédito: Divulgação
Fonte: Lide Multimidia

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar