Artigos

Risco de epidemia de dengue requer cuidado nos condomínios

Em 2019, apenas o estado de São Paulo registrou 72 casos de zika e 280 de chikungunya

 

Dois casos de morte por sintomas de dengue hemorrágica no interior de São Paulo chamam a atenção para um novo risco de epidemia da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Em Votuporanga, também no interior do estado, apenas em janeiro foram confirmados 817 casos de dengue e 1.082 casos em investigação, o que levou a prefeitura a montar um ambulatório de atendimento exclusivo para dengue, com sala de monitoramento para os casos mais graves.

Segundo o Ministério da Saúde, 2019 foi o terceiro ano com mais casos de dengue no país, chegando a ser cinco vezes maior que em 2018, e com mais de 700 mortes em decorrência da doença. Em épocas de chuva e calor, como são os primeiros meses do ano, é necessário manter a conscientização dos moradores sobre a importância de se atentar aos focos da dengue, orientar os funcionários a observar cada canto das áreas comuns e sensibilizar a todos, pois pouco adianta a ação isolada de uma pessoa quando o assunto demanda atividade coletiva.

Os condomínios costumam ser locais muito convidativos para a proliferação desse mosquito, pois possuem um grande fluxo de pessoas, além disso, locais como lajes, calhas e fosso de elevadores também se tornam ambientes propícios para a procriação do inseto. Dados da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) indicam que 90% dos focos de dengue são encontrados dentro de residências (casas e prédios). A proliferação de larvas se dá em recipientes móveis, como vasos de plantas, garrafas pet e potes plásticos, já os recipientes naturais para plantas, ocos de árvores e bambu, por exemplo, possuem menor índice de criadouros com larvas.

Além de uma mobilização geral, é também recomendada a contratação de serviços profissionais em que as pessoas encarregadas da limpeza tenham conhecimento sobre a melhor forma de higienização e qual a frequência ideal para o serviço. Empresas confiáveis possuem funcionários treinados especificamente para este tipo de trabalho, como os auxiliares de limpeza e de serviços gerais, que recebem um treinamento com instruções teóricas e práticas sobre atendimento, tipos de produtos e suas finalidades e, principalmente, conhecem técnicas de higienização de ambientes.

De qualquer forma, cuidar da limpeza é fundamental em todos os lugares. Ter um ambiente sempre limpo e bem-cuidado, além de manter uma boa aparência, afasta insetos e evita a dengue. Entre as inúmeras recomendações, é preciso sempre reforçar que recolher o lixo no mínimo uma vez ao dia, lavar cestos e latas de lixo sempre que possível e eliminar locais propícios ao acúmulo de água parada são medidas que afastam o mau cheiro e evitam a proliferação de insetos nas áreas condominiais.

Artigo de:
Amilton Saraiva, especialista em condomínios da GS Terceirização www.gsterceirizacao.com.br

Crédito: Divulgação
Fonte: Estilo Press

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar