Com quatro dicas da arquiteta Ana Johns, seu lar vai ficar pronto para receber as baixas temperaturas da estação

 

Dia 21 de junho a estação mais fria do ano chega ao hemisfério sul. E se as baixas temperaturas do inverno, muitas vezes, nos inibem de sair de casa, então por que não deixar o lar aconchegante para uma programação caseira, com muito vinho e comidas quentinhas? Pensando nisso, a arquiteta Ana Johns, a frente do escritório Ana Johns Arquitetura, listou 4 dicas para deixar a casa aquecida neste inverno. Confira!

 

1 – Tecnologia para aquecer
Pensando em preparar a casa para o frio desde a sua concepção, podemos considerar tecnologias como aquecimento para o ambiente por meio de aquecedores elétricos ou a gás, que funcionam com radiador – aparelho que irá jogar calor para o cômodo. “Outra opção interessante é o uso de piso aquecido, que é instalado abaixo do revestimento do piso, emanando calor do chão. O ar quente é menos denso e sobe, aquecendo o ambiente por completo”, explica a arquiteta.

Para a região sul do país, onde a oscilação de temperaturas é grande, o ar condicionado com tecnologia inverter é uma excelente solução, pois aquece no inverno e resfria no verão. Para os banheiros, algo que pode facilitar no dia a dia no inverno é o toalheiro aquecido, que mantém as toalhas secas e quentinhas para serem usadas. “Todas estas soluções devem ser pensadas desde o início do projeto, pois demandam, no mínimo, uma fiação específica. E na hora de escolher a melhor opção, é importante pensar no custo de instalação e no gasto com o uso, para que seja algo viável.”, sinaliza Ana.

2 – Deixa o sol entrar
Ainda pensando em soluções de projeto, utilizar grandes aberturas de vidro para deixar com que o Sol entre nos ambientes é uma saída para manter a casa aquecida. A melhor fachada para receber o Sol é a face norte, onde terá incidência solar direta o dia todo. Já na fachada oeste, recebemos o sol da tarde, também sendo uma boa escolha para deixar a casa quentinha. “O cuidado deve ser tomado com a fachada Sul, que só tem a entrada de claridade, mas por não receber sol direto não aquece os ambientes”, complementa.

Segundo a arquiteta, para conservar o calor dentro da casa, vale a pena investir em boas esquadrias. As versões em PVC são uma ótima solução para resolver esta questão térmica (servindo também para proteger do som). E, se tiver um bom vidro ou melhor ainda, um vidro duplo, não deixa o frio entrar e nem o calor sair.

3 – Aposte nos acessórios
No inverno podemos tirar do armário as mantas que, além de decorar quartos e salas, ainda ajudam a aquecer estes ambientes. Da mesma forma, investir em capas de almofadas com tecidos quentinhos, como lãs, veludo e pele, também auxilia na sensação de conforto térmico. “Os tapetes são elementos que podem ser usados sem medo durante o inverno, principalmente nas casas com piso frio. Decoram, criam aconchego e protegem os pés do frio vindo do chão”, comenta Ana.

4 – O charme das lareiras
Existe a opção da lareira, tão tradicional quando pensamos em aquecer os ambientes. Esta pode ser a lenha, a gás ou a álcool. A última versão veio para resolver o problema da falta de infraestrutura para instalação de uma lareira que precise de duto de saída de ar. E se for dimensionada corretamente, aquece muito bem o ambiente.

As lareiras, inclusive, vêm sendo utilizadas em casas de praia, principalmente no sul do país. Uma boa solução, neste caso, é o uso do modelo a álcool, pois há a possibilidade de a guardar quando não estiver usando. “No projeto que fizemos no Balneário de Atami, foi criada uma estrutura em alvenaria onde a lareira é inserida, com bancos ao redor. Isso ao lado da piscina. Quando está quente, usamos a estrutura como uma mesa de apoio, mas se esfria, é só substituir a madeira pela lareira”, finaliza a arquiteta.

Sobre Ana Johns Arquitetura:
Ana Johns é arquiteta e urbanista formada pela Universidade Positivo e mestre em Sustentabilidade e Arquitetura Nórdica pela Universidade de Aalborg, na Dinamarca. Com experiência no ramo desde 2008, a profissional já desenvolveu trabalhos internacionais – no escritório Carvalho Araújo, em Portugal – além de atuar em diversos escritórios renomados em Curitiba, como o Maganhoto e Casagrande onde exerceu a função de gerente de projetos na área de arquitetura de interiores. Com essa visão diferenciada e ampliada da arquitetura, no início de 2016 fundou o escritório Ana Johns Arquitetura, com o objetivo de desenvolver de forma consciente projetos em todas as escalas.

 

Serviço:
Ana Johns Arquitetura
Rua João Kososki, 357, Ecoville, Curitiba – PR
www.anajohnsarquitetura.com.br

Crédito: Divulgação
Fonte: 203 Comunicação

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar