Arquitetura

Estilo japonês: Cristiane Schiavoni dá dicas para você conquistar uma decoração com inspiração oriental

A cultura japonesa é fonte de grande inspiração para arquitetos e designers de interiores que buscam resgatar características da cultura milenar em uma decoração minimalista e cheia de sutilezas.

 

O estilo japonês é marcado por muita tradição, mas, se reinventa com toques de modernidade em uma harmonia perfeita para quem almeja ambientes simples, funcionais e sofisticados, mas sem exageros”, conta a arquiteta Cristiane Schiavoni.

A profissional é a responsável pela reforma deste apartamento de 198 m², na zona sul de São Paulo, customizado especialmente para uma jovem família com ascendência japonesa. “Na reunião para decidir os detalhes do projeto, o morador me disse que precisaria de um lugar para colocar o seu altar budista e essa peça foi o ponto de partida para criar uma decoração que resgatasse os gostos e a história deles, com referências da cultura japonesa”, conta Cristiane Schiavoni.

Abaixo, Cristiane Schiavoni separa algumas dicas para quem deseja se inspirar no estilo japonês minimalista na decoração de casa.

Portas de correr
No Japão, as portas de correr ou shoji, como são conhecidas, são tendência nas residências. Além de serem funcionais e não ocuparem espaço, possuem uma estética exclusiva que explora elementos japoneses, já que são feitas com esquadrias de correr construídas com papel arroz ou outro material translúcido, característico da cultura milenar.

Ponto de destaque do apartamento, as portas de correr dividem a sala e a cozinha com muita personalidade sem impedir a passagem de luminosidade. Quando abertas elas permitem a integração dos espaços. “Optei por fazê-las de vidro com uma película mais resistente, já que o papel arroz é um material um pouco mais frágil e o resultado ficou incrível”, conta Cristiane.

Louças japonesas e itens decorativos

Os objetos de tradição japonesa que remetem a cultura milenar também podem dar um toque especial ao décor. Desde itens decorativos até as delicadas louças japonesas feitas de cerâmica podem levar histórias e personalidade aos ambientes.

 

Cerâmicas e flores dão um toque especial ao projeto de Cristiane Schiavoni

Em seu projeto, Cristiane usou itens de louças japonesas para realçar as mesas de jantar e de centro. “No Japão, é muito comum ter louças variadas em casa e elas são lindas para compor a decoração. Peguei as que achei mais bonitas e fiz um arranjo encantador”.

Além disso, na mesa de jantar, outro item japonês muito utilizado ganha protagonismo: uma estátua que representa uma mulher japonesa. “É um objeto que traz as referências japonesas com sutileza, muito o que procuramos neste estilo”, explica a arquiteta.

  1. Origamis

Artes tradicionais e seculares japoneses, os origamis são conhecidos em todo o mundo e são bons representantes da cultura oriental. Feitos a partir de dobras de papel, é possível produzir flores, animais e demais figuras que podem se tornar inspiração para lindas peças decorativas. Essa foi a referência que Cristiane passou para a artista plástica Rosana Ciotta, que transformou os origamis em esculturas e quadros que preenchem com ousadia e intimismo os ambientes sociais. “O resultado ficou lindo! São obras de artes que dizem muito sobre a cultura japonesa, com um estilo único e especial”, descreve Cristiane.

Cerejeira japonesa

Os apaixonados por árvores e flores com certeza conhecem as lindas cerejeiras japonesas. Tratam-se do símbolo da cultura oriental e possuem um significado histórico: elas representam a imagem das gotas de sangue dos samurais que participaram de batalhas, por isso são tão importantes para os japoneses. Em casa, além de preencherem com delicadeza os jardins, podem ser usadas como referência para a decoração. No hall deste apartamento, o papel de parede escolhido recorda as encantadoras flores de cerejeiras. “Apesar de usar outras cores, a inspiração foram nelas, por isso, galhos de cerejeiras também estão no ambiente para complementar a decoração elegante e delicada do espaço”, explica Cristiane.

Vermelho

Quando falamos em cores, a cultura japonesa prioriza os tons neutros, principalmente com o uso de branco e madeira na decoração, assim como o vermelho, cor tradicional e que acrescenta vivacidade e usada com equilíbrio sob a base neutra. “Os clientes solicitaram cores neutras e usei o vermelho como ponto de cor em detalhes do tapete, esculturas e outros”, conta.

Sobre a arquiteta Cristiane Schiavoni

Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (FAU-USP), Cristiane Schiavoni atua na área de arquitetura, decoração e reforma desde 1996 e hoje, o escritório que leva seu nome, tem mais de 20 anos de história, reunindo centenas de projetos dentro e fora do Estado de São Paulo. Em suas criações residenciais e comerciais, publicadas em importantes veículos brasileiros, elementos-surpresa e toques de cor se misturam aos recursos que garantem o conforto e o aconchego dos moradores.

Acabamentos aplicados de maneira incomum e materiais versáteis também são presenças constantes nos trabalhos de Cristiane Schiavoni. O resultado se reflete na concepção de ambientes modernos, humanizados e dinâmicos, que convidam ao bem-estar e, principalmente, traduzem a essência de cada cliente.

Crédito: Carlos Piratininga
Fonte: DC33

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar