Arquitetura

Conceitos sociais e artísticos aplicados à arquitetura

À frente do SLVY Arquitetura, a arquiteta Maria Sliviany desenvolve projetos que apresentam uma nova forma de classificação dos ambientes

 

Foi muito cedo que a arquiteta Maria Sliviany, à frente do escritório SLVY Arquitetura, optou pela profissão. Sua aptidão em desenho à levou de encontro à arquitetura e, desde então, seus “rabiscos” se tornaram mais do que projetos de ambientes, mas conceitos sociais e artísticos. Isso porque a profissional decidiu explorar a ideia de espaços genderqueer, ou seja, sem gênero, além de propor a inserção da arte, seja pintura, desenho, gravura ou música, em todos os seus projetos.

Sua proposta com os ambientes sem gênero é não rotular os espaços como masculinos ou femininos, da menina ou do rapaz, como ainda é visto em muitas mostras de arquitetura e decoração pelo país. Mostrar que a cor rosa, por exemplo, pode compor um cômodo dedicado a um homem, e que mulheres podem gostar de um quarto no estilo industrial. “Quando vou a mostras de decoração, sempre me apaixono pelo estilo do quarto do rapaz e me pergunto o porquê do uso dessa nomenclatura. Falamos tanto sobre rotulação de pessoas na sociedade, mas continuamos aplicando isso na arquitetura”, complementa a arquiteta.

A ideia não é criar um ambiente neutro, mas sim, desmistificar alguns elementos considerados femininos ou masculinos, mostrando suas aplicações em espaços opostos ao que se considera comum. “Os projetos são cheios de personalidade e mostram exatamente o perfil do cliente, mas sempre com um elemento surpresa para sair do óbvio”, afirma.

Já a arte permeia todo este conceito. A profissional tem desenvolvido obras personalizadas para compor os projetos e garantir ainda mais exclusividade aos ambientes. “Hoje, já conto com peças em projetos e à venda em lojas”, conta. A paixão pelo mundo artístico também se revela no desenvolvimento de projetos de estúdios musicais, tanto residenciais, quanto comerciais.

Especializada em acústica, Maria pensa em todos os detalhes para que o espaço seja ideal para a reverberação do som dos instrumentos e da voz, criando uma atmosfera perfeita para a gravação e execução musical.

Sobre a SLVY Arquitetura:
Arquiteta formada em 2016 pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Maria Sliviany está à frente do SLVY Arquitetura. O escritório desenvolve projetos arquitetônicos e de interiores, residenciais e comerciais, utilizando ferramentas modernas de desenvolvimento, como o sistema BIM. Mesclando os estilos contemporâneo, clássico e rústico, a profissional propõe uma arquitetura diferenciada, sem distinção de gêneros, com muita arte e acessível para todos.

Serviço:
Rua Marechal Deodoro, 857 – Sala 1703, Centro – Curitiba
slvyarquitetura@gmail.com

Crédito: Rafael Pastorin
Fonte: 203 Comunicação

 

 

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar