Arquitetura

“Casa Onda” é exemplo de construção sustentável

Construída pela Greenwood e projeto assinado pela arquiteta Monica Menarim Requião, a Casa Onda já foi certificada pelo Green Building Council Brasil – referência nacional em construção sustentável.

A preocupação com a sustentabilidade na construção civil é uma tendência crescente em todo o mundo.

Especificamente no Brasil, apesar de o setor residencial representar o maior volume construtivo no país, conforme aponta o Green Building Council Brasil (GBC Brasil), este ainda é um setor carente, de forma geral, quanto à adoção de diretrizes para a sustentabilidade. Mas, desde que o GBC Brasil – responsável pela certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) e referência como plataforma para construção de edifícios verdes – lançou, em 2014, uma certificação voltada às especificidades das edificações residenciais brasileiras, o selo Referencial GBC Brasil Casa, esse cenário tem mudado.

Um dos exemplos presentes no Paraná, na cidade de Castro, é o projeto da Casa Onda, com execução pela Construtora Greenwood e projeto arquitetônico por Monica Menarim Requião. Essa foi a primeira residência do estado paranaense a ser inscrita no selo GBC Brasil Casa, uma das primeiras do Brasil, e que já recebeu a certificação na categoria Ouro por cumprir especificações ambientais exigidas pelo selo.

Para a arquiteta Monica Menarim, que tem MBA em construção sustentável e é consultora do selo Referencial GBC Brasil Casa, o projeto da Casa Onda foi uma forma de difundir os princípios da sustentabilidade na construção. “Aprende-se muito incorporando as diretrizes do selo, e na verdade são processos muito simples. Não precisa sair caro, o cliente não precisa, necessariamente, adotar sistemas de geração de energia fotovoltaica ou captação de água da chuva, ou ainda automatizar sua obra. Isso ficará a seu critério. É claro que o investimento neste tipo de solução, na verdade, terá seu investimento inicial diluído ao longo dos anos resultando muitas vezes em ganhos, inclusive econômicos”, observa. “Porém, a implantação do selo é muito mais voltada ao uso racional de recursos, e isso traz ganhos imediatos ao cliente, pois ele vai ganhar em tempo e economia de materiais e energia na obra”, ressalta a arquiteta.

De acordo com o engenheiro civil Aldo Cesar Prigol, que esteve à frente da obra da Casa Onda pela Greenwood, entre os aspectos de destaque implementados na obra, estão as soluções que envolvem desde a captação de água da chuva até sistemas construtivos diferenciados. “Durante a obra, vale destacar aspectos como a utilização da água de chuva desde o início da construção, para consumir menos água tratada; o uso do steel frame (sistema construtivo que utilizada estruturas em aço galvanizado) juntamente com a alvenaria convencional; o uso da lã de pet (excelente performance a partir de material reciclável) em substituição à lã de vidro no isolamento acústico e térmico; entre outros”, destaca.

Segundo a arquiteta, o nome “Casa Onda” veio da proposta estética da residência, que tem seu telhado em forma ondulada, estruturada em steel frame. “Procurei desenvolver um projeto inovador também visualmente, que dialogue com a proposta sustentável, por isso enfatizei a forma orgânica da onda”, detalha.

“O steel frame também foi uma opção que tem um forte impacto positivo, em termos de sustentabilidade. O aço é um material de altíssimo nível de renovação. Além disso, a estrutura é toda parafusada. Praticamente não tem desperdício de material”.

Além disso, Monica explica que o layout da casa também contemplou as propriedades sustentáveis do projeto, já que valoriza as questões da insolação e da circulação cruzada de ar, com ótima ventilação. “Pensando nisso, eliminou-se a necessidade, por exemplo, de uso de um ar-condicionado”. Também, no projeto, a iluminação é outro aspecto importante. “As luminárias são de elevada eficiência, com 75 lumens por Watt (lm/W) ou mais. Uma casa sustentável é econômica, porque ela é projetada e executada para utilizar menos recursos.”

Sobre a Construtora Greenwood

No mercado desde 1996, a Construtora Greenwood apostou no atendimento personalizado para consolidar sua presença no mercado da construção civil. Essa vertente foi o motivo pelo qual o empresário Maurício Beira da Silva e sua esposa, a engenheira civil e empresária Syonara Thomé Beira da Silva, decidiram inaugurar uma construtora para criar residências de alto padrão. Com infraestrutura para administrar 40 obras ao mesmo tempo, 10 em fase de projeto e 30 em execução, com um mestre de obras exclusivo para cada obra, a Greenwood trabalha por taxa de administração sobre o custo total e global da obra. Um software desenvolvido especialmente para a empresa reúne informações de compras e cotações e auxilia na busca pelos materiais com a melhor relação custo x benefício. A sustentabilidade, aliada à economia de materiais e energia nos canteiros de obras, é prioridade da Greenwood.

  • Crédito: Divulgação
    Fonte: Mcomm Comunicação Dirigida

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar